Caledfwlch

Ué, não ia falar de Excalibur? Então, o título deste post é o nome original da espada, em Welsh. Para quem acha que blog histórico é moleza, tem uma pequena amostra do que estou estudando aqui. Clique quem tiver coragem. Ah, só para sentir a tensão da coisa, quem clicou no anterior pode clicar aqui também.
O nome Caledfwlch pode ser descomposto usando o mesmo termo em Irish, Calad-bolg. Calad=duro, forte / bolg=relâmpago, portanto o nome Calad-bolg significa relâmpago poderoso. Este nome foi traduzido para alguma coisa próxima do inglês como Caliburn por Geoffrey de Monmouth, e o afrancesado Excalibur que conhecemos hoje, provavelmente por mérito do Chretien de Troyes.

A Espada Era A Lei...

Perdi a conta das vezes que expliquei que a espada tirada pelo jovem Arthur da pedra após a morte do Uther nada tem a ver com Excalibur; ela tem sua própria história, vejam só:
Quando falei das malandragens do Merlin, contei um pouco sobre esta espada. A história completa é que Arthur, filho de Uther (mais tarde chamado de Utherpendragon) foi mantido encoberto do conhecimento público. Ele foi criado por Sir Ector, junto com seu outro filho como se fossem irmãos. Arthur era mais novo, e seu irmão queria ser cavaleiro; coincidiu que iam para um torneio quando Merlin fez aparecer a espada na pedra, com a inscrição dizendo que somente quem for digno de governar o reino poderia puxar a espada. Chegando Sir Ector na cidade, percebeu que seu filho mais velho estava indo para o torneio sem espada; Arthur na função de pagem do irmão foi procurar por uma. A cidade estava toda fechada, por causa do torneio. Arthur andou bastante, até que achou (olha só) uma espada largada em uma pedra. Foi encostar a mão que a espada soltou, e levou correndo esta espada para o irmão. Quando viram o irmão do Arthur com a espada em mãos, o jovem mentiu, falando que ele mesmo tinha tirado a espada da pedra. Mas sob o olho crítico do pai, confesou a verdade.


É, vai achando que vai tirar...


A questão é que ninguém botava fé que o jovem Arthur tirou a espada; fizeram ele colocar a espada várias vezes e tirar, e cada vez que a espada tocava a pedra, somente ele conseguia tirá-la de lá. Um a um, os homens se convenceram da indicação, e Arthur foi proclamado rei.
Isto demorou muito tempo; afinal, grandes senhores, reis de outras terras e cavaleiros de muito renome tentaram em vão tirar a espada sem sucesso, e era humilhante ver esse feitio nas mãos de pouco mais que uma criança desconhecida. A revelação final veio do Merlin, ao contar seus motivos em esconder Arthur. A noticia da linhagem de Arthur como filho de sangue de Uther explicava os fatos, e fazia ele digno de ocupar o trono. A espada na pedra era a espada do rei Uther, oculta após sua morte. A espada reconheceu o sangue do Arthur, e cedeu à vontade pura dele de simplesmente pegar a espada, sem a intenção de governar o reino. Esta história foi aproveitada e reciclada em inúmeras formas, até no primeiro volume do Harry Potter (A Pedra Filosofal).
A idéia de tirar a espada de uma pedra acredita-se ter vindo do jeito que as espadas eram forjadas antigamente. Dois moldes de pedra, com o formato de um dos lados da lâmina cada um eram unidos com força e preenchidos por cima com metal derretido. Quando o metal esfriava, as pedras eram marteladas para descolar o metal, e a lámina completa (já com o formato da espada) era puxada por cima. Ainda era preciso dar gume os lados da lâmina, ou como os ferreiros espanhois descobriram mais tarde, aquecer a lâmina e esfriar rápidamente para temperar a mesma, o que deu-se em chamar ferro-duro, mais tarde conhecido como aço.
Mas tudo isso nada tem a ver com Excalibur, ou Caledwlch.

Cal.. Caledw.. Caldfw.. bah, Excalibur...

Excalibur foi um presente da dama do lago para Arthur, com a condição que a espada fosse devolvida quando Arthur não tivesse mais condição de governar o reino. Esta espada somente podia ser portada por um rei que tivesse a benção da Sacerdotisa de Avalon, designado para ser o protetor de toda Bretanha. A dama do lago seria a tal, ao entregar Excalibur para Merlin com a missão de otorgá-la a Arthur. Além da espada, Merlin recebeu também a bainha da espada, que protegeria da morte ao portador.

Tia, manda uma Excalibur, no capricho viu?


Segundo a lenda, Excalibur foi forjada por ferreiros elficos, mas isso na minha humilde opinião já entra na parte escabrosa da lenda arturiana. Tem coisas que prefiro fazer de conta que não li, hehe..

O confronto final entre Arthur e Mordred é a última aparição da espada, após a morte de Mordred, um Arthur agonizante pede para um dos seus cavaleiros (Sir Bedwyr, ou Girflet na versão moderna, ou "Gilfrete" na versão para o português) carregar a espada e lançá-la no lago, para assim cumprir com a promessa de devolver a espada.
Sir Bedwyr achou um desperdício perder uma espada com tanta história, e foi até o lago, mas guardou a espada para si. Voltou até onde o rei. Arthur perguntou o que ele viu, e Sir Bedwyr mentiu falando que simplesmente a espada afundou na agua. Arthur disse:

-Mentes para mim, porque coisas maravilhosas deverias apreciar. Vá, e jogue a espada no lago.

Sir Bedwyr sentiu remorso, e a mesma situação aconteceu. Foi só na terceira tentativa que ele, querendo cumprir o desejo do seu rei agonizante, lançou a espada com todas suas forças ao lago. mas a espada não afundou, ela flutou no ar um palmo antes de encostar na água. A espada brilhou intensamente, e uma mão surgiu do lago, para segurar a espada é brandí-la. A mão desceu e subiu brandindo a espada mais uma vez, até afundar e não ser vista novamente. Foi isto que Sir Bedwyr relatou ao Arthur, e como isso ele finalmente descansou. Inconsciente, ele foi carregado até um pequeno barco, onde as ninfas de Avalon levaram ele através das brumas, e nunca mais foi visto.
Segundo a lenda, Arthur não morreu, mas ele aguarda pelo momento em que seu reino chame por ele novamente na hora da necessidade.

Historiadores e arqueologistas acharam espadas celtas em todos os lagos da Bretanha. Era comum entre os povos celtas lançar as espadas dos seus homens caidos nos lagos, buscando a benção dos seus deuses e querendo assim garantir que as armas chegassem no além, encontrando seus portadores. Esta é a origem mais provável da lenda da dama do lago, como uma imagem das antigas deusas celtas.

Semana que vem: "O (santo?) graal"

(a pedido do público!!!)


5 comentários:

Marion disse...

Estes nomes em welsh são assustadores! É muita letra junto e sem o menor sentido para nós! Mas você sabe muito bem lidar com as letras e junta um monte delas e faz posts ótimos de ler, envolventes e com uma pitada certa de humor que em nada atrapalha a seriedade com que você trata as histórias do Rei Arthur.
Legal lembrar do Harry Potter, realmente ele e a tal
pedra que ficava no espelho tem a mesma relação de Arthur com a espada. Só a pessoa certa poderia tê-la.


Ah, adorei as imagens! :) Post maravilhoso meu bem!

pedrita disse...

realmente não deve ser fácil colher os dados históricos envoltos em tantas lendas. devem ter muitas versões ainda mais que são de um período de muitas crendices e poucas escritas. muitas histórias deviam ficar distorcidas, devem ter várias versões, não deve ser fácil. e que bom que depois vai atender o pedido do público hehe. acho que nós sempre estamos em busca de nosso cálice sagrado. beijos, pedrita

Renata disse...

Bela explicação :) Eu conhecia a história da espada na pedra, e no fundo sempre achei que fosse uma versão da Excalibur. Então não tem nada a ver :)
E a questão dele ser levado através das brumas sempre me deixou curiosa... mas pelo jeito não há nenhuma explicação além desta...?
Aguardo o Graal!!

Andrea disse...

Muito bacanas os esclarecimentos. Quero ver o que vai sair do Graal...rs

Pedrita disse...

oi wally, falei sobre o filme código da vinci e mencionei o seu blog. avisei que em algum momento vc vai falar do santo graal. beijos, pedrita