100

O blogger diz que este é meu post de número 100... quem diria? Quem era capaz de dizer que chegaria a 3 dígitos, escrevendo apenas sobre um único assunto?

De certa forma, posso dizer que meu objetivo inicial foi cumprido. Foi atendido. Consegui fazer o que me coloquei como proposta: Oferecer conteúdo em português sobre a lenda arturiana, escrevendo em um estilo totalmente meu. Nada de diálogo acadêmico, nada de bancar pose de querer ensinar. A proposta sempre foi bem clara, e fui fiel a ela, até hoje.

Me orgulho de vários posts, aqueles que levaram tempo lendo e pesquisando. Teve posts aos que dediquei semanas de pesquisa, apenas para poder documentar as razões de tal ou qual personagem dentro da história. Ou mesmo poder colocar pontos de comparação entre vertentes diferentes, como por exemplo adivinhar quantos cavaleiros tinha a távola redonda.

Curti muito pesquisar as imagens de alguns posts, especialmente os manuscritos. Sair caçando parágrafos, buscando evidências de tradução imprecisa, e que podiam alterar a interpretação. Ou mesmo a surpresa de encontrar preconceitos datados da idade média, como a já famosíssima frase "anão filho da p*ta!"

Sendo totalmente honesto, ainda não deu 100 posts, ao menos não para mim.. Porque o fato de ter escrito 100 posts não quer dizer que os 100 tenham conteúdo pra valer; teve uns poucos (menos de 5 eu acho) em que por x motivos não consegui escrever ou estudar, e esses posts acabaram no "enrolation". Por isso, os 100 de hoje significam que escrevi muita coisa, mas especialmente que nesses 2 anos consegui uma constância que implica respeito com o leitor, com o freqüêntador do blog. Porque sem leitores, o blog perde a razão de ser.

Tá, e o post de hoje?

A semana inteira fiquei matutando sobre o que ia escrever, mas nada de vir idéia boa. Tive algumas, mas nada que preste. No sábado por volta do meio-dia, surgiu o assunto: O que era o Castelos das Mulheres?
A lenda arturiana é recheada de locais misteriosos, cenários de aventuras extraordinárias e fascinantes. Os lugares são muitos, passando por reinos como Corwall ou Logres, mas também existem no conto alguns lugares sem muita definição geográfica, como as tantas hermidas e cidadelas.

O castelo das mulheres, ou Castle of Maidens, é um desses lugares que fazem parte do repertório épico de "locações sem local definido", por chamá-las de algum jeito. Este castelo, aparentemente habitado apenas por jovens mulheres reféns, é parte das óbvios obstáculos que o Galahad vai encontrar no seu caminho na busca do graal, mas antes disso ele serve como cenário das proezas em batalha de otros cavaleiros, como Uwaine ou mesmo o Lancelot.

Encontrei um texto bastante longo no Malory, que se estende por capítulos. É claro que não consegui ler esse texto todo, e na verdade nem consegui pesquisar se existem menções anteriores a este castelo, como por exemplo no Chrétien. Mas vamos fazer assim: vou pesquisar direito, ver tudo o que encontro, ler o que precisar durante a semana, e quando tiver tudo claro na cabeça eu conto para vocês o lance do castelo. Só posso adiantar uma coisa: aí tem rolo.

Até a semana que vem!

2 comentários:

Anônimo disse...

Walter,

Parabéns pelo post 100.

Há muito o que comemorar e ficar fleiz e satisifeito!!!

Tudo de bom!!!

Beijos.

Tininha

Renata disse...

Parabéns pelo 100o post! Você conseguiu sim alcançar seu objetivo, eu já ri muito lendo seus posts e admiro a paciência em pesquisar e não ficar satisfeito com a primeira resposta que encontra.
Ah, sempre que entra mulher nessa lenda, a coisa degringola né? Conta sim sobre o castelo :)
Beijos!