Pedra Sobre Pedra

Este post foi sugerido indiretamente pela minha Marion baseado em uma reportagem que ela encontrou por acaso na internet.
Fiz uma busca no meu próprio blog sobre Stonehenge, e para meu espanto, ainda não fiz um post dedicado somente a ele, mesmo dedicando alguns parágrafos perdidos em alguns posts que tinham relação com o famoso monumento de pedra, como o lance de ser o túmulo do Uther, o Merlin ter transportado as pedras, etc, etc...
Faz um certo tempo ouvi falar do trabalho de um grupo de arqueólogos interessados em aplicar as técnicas atuais para determinar a idade aproximada das pedras, das escavações e dos objetos encontrados por lá; a idéia é aplicar o famoso Carbono 14 dos filmes para determinar com certo grau de acerto quando exatamente essas pedras foram parar a 250 km do seu lugar original para formar um círculo calendário. Pois é. As tais pedras vieram do sul do País de Gales, e formam o que provavelmente seja o monumento pré-histórico mais famoso da humanidade.
Então, os cientistas extraíram várias amostras orgânicas do local, tiradas da única escavação permitida pelas autoridades; um buraco quadrado de 3,5 mts por 2,5 mts entre os dois círculos de pedra.

Cientistas descobrem que o Laser Disc é pré-histórico.

O resultado dos testes com radiocarbono deu valores entre 2400 e 2200 a.C., portanto os cientistas disseram que "tá na média de 2300 a.C.". Resposta brilhante a deles, imagino quanto tempo levaram para chegar na tal "média"...
OK, pra gente isso não diz nada, afinal passar do 2600 a.C para 2300 a.C. dá exatamente na mesma pra nós, mas para os cientistas diz muita coisa. O fato das pedras serem 300 anos mais "novas" revela um pouco mais sobre o período histórico na qual foram erguidas, sobre a tecnologia disponível e sobre os costumes da população em geral, o nível social, hierarquias, etc.
Uma das maiores teorias hoje é que Stonehenge tenha sido um centro de curas, já que nas proximidades das pedras foram encontrados muitos corpos com ferimentos graves, ou mesmo evidências de doenças fatais, e pelas pesquisas feitas nesses corpos foi possível determinar também que eles não eram da região; quer dizer, gente ferida e doente que viajou ou foi mesmo trazida até o lugar.
Entre estes corpos, um particularmente chama a atenção, que ganho o apelido de "Arqueiro de Armesbury" encontrado a quase 5 Km de Stonehenge e que curiosamente bate no radiocarbono a idade das pedras. O tal Arqueiro de Armesbury é famoso pelas riquezas encontradas no seu túmulo (momento Indiana Jones / Lara Croft agora), muitas delas peças de metal trabalhadas, e que evidenciavam que este homem viajou dos Alpes europeus até a remota Inglaterra para ver as pedras.
Nem todo mundo aceita a teoria do centro de curas; outros cientistas defendem que o tal Arqueiro só foi até Stonehenge para vender suas tralhas, considerando quanto as pedras deviam ser famosas e quantas pessoas ricas o suficiente para viajar poderiam estar lá. Digamos, um muambero pré-histórico.
Resumindo, a reportagem não diz muita coisa na verdade, mas ao mesmo tempo traz o assunto à tona novamente; para quem quiser saber meeeeesmo sobre Stonehenge, recomendo o site oficial "www.stonehenge.com.uk", ou mesmo para quem tiver a sorte de "encontrar" por aí, tem um ótimo documentário da BBC que conta inúmeros detalhes sobre os círculos de pedra, especialmente o que deu assunto a este post.

Até a semana que vem!

Um comentário:

Renata disse...

Acho o Stonehenge um monumento muito bonito, e é uma pena que provavelmente nunca saberemos com certeza o que foi ou como foi construído. Mesmo com tantas evidências é impossível concluir alguma coisa...
Beijos!