O Natal está logo ali

Último post antes do Natal. Fiquei pensando, e lembrando. Houve muitos acontecimentos na lenda arturiana que ocorreram no Natal, assim como em outras festas religiosas. No período medieval, as coroações de reis geralmente ocorriam no Natal; provavelmente para contar com a benção da igreja. Eu particularmente teria preferido fazer esse tipo de evento no verão, para que os viajantes que fossem participar da cerimônia tivessem menos problemas, e claro, para que possam passar o Natal com suas respectivas famílias. Mas como não sou rei nem nada não posso dar nenhum apito nesse sentido, né?

Um dos fatos mais marcantes dentro do universo arturiano que ocorreu no Natal foi a famosa cena da espada na pedra; Arthur puxou a espada um dia qualquer, mas não foi reconhecido como legítimo herdeiro do trono, portanto Merlin convenceu o Arcebispo de Cantebury a refazer a prova da espada no Natal, o que dava tempo para que todos os reis, barões, duques, condes e cavaleiros de renome soubessem da prova e pudessem participar. É claro que o que Merlin pretendia era ter testemunhas incontestáveis; ninguém fora o jovem Arthur foi capaz de puxar a espada da pedra, por mais que tentassem, por maior que fosse seu título de nobreza. Só depois de demonstrar isso tudo que a verdadeira origem do Arthur foi revelada, e seu título de príncipe herdeiro reconhecido. Eu já falei desta história em detalhe em Maio deste ano, lembram?

Nós, cidadãos do Novo Mundo, não temos tradições próprias de Natal. Tudo o que sabemos fazer foi "importado" das Europas, onde o Natal é no inverno, e os costumes bem diferentes. Não vou usar meu espaço aqui para contar cada uma das tradições herdadas, mas deixo em vocês a pontada de curiosidade; encontrei uma página que conta muitos detalhes sobre como era o Natal no período medieval, cheio de curiosidades simpáticas. Uma das que achei mais engraçadas é sobre como surgiram os corais de Natal; esse costume de ficar perambulando de porta em porta ocorreu porque eles não se encaixavam no tom estritamente religioso da celebração natalina, portanto foram expulsos da igreja. Daí foram para outra igreja, e também foram colocados pra fora; e assim foram de porta em porta, cantando do lado de fora. E virou tradição :-)

Pessoal, celebrem muito estas festas; lembrem sempre da origem dela, e façam planos para o ano novo que está vindo; só não esqueçam que o ano não acabou ainda, temos um bocado de coisas que podemos fazer até o ano acabar! Vivam cada dia intensamente! E um Muito Feliz Natal para Todos!!!!

Até a semana que vem!

2 comentários:

Pedrita disse...

meus avós eram americanos e europeus, então tenho uma tradição forte de comemoração do natal. discos eram comuns, minha mãe tem uma coleção e compra sempre novos estrangeiros que aparecem. como conto sempre a marion, minha mãe começa a preparar a festa de natal lá por abril e maio, às vezes março. os presentes ela começa a comprar em junho, ou prepará-los. tanto que levei anos pra descobrir que não era o papai noel que comemorávamos e sim outro aniversariante. mas o papai noel é até hj mais forte do que os motivos religiosos. é interessante que podia jurar que a cada ano temos neve na casa da minha mãe. os pratos típicos tb são estrangeiros. só na idade adulta que comi aquela castanha na casa da mãe de um namorado, pq nossa tradição é outro. eu passei a amar o natal, tal a importância que minha família dá a data. beijos, pedrita

Renata disse...

As comemorações já são tão comuns que a gente nem se lembra de pensar em como elas surgiram. Outro dia na aula uma professora criticou as religiões que dizem que Harry Potter é coisa do demônio dizendo que a árvore de natal é um símbolo totalmente pagão e todo mundo coloca dentro de casa sem nem saber de onde veio ;)
Beijos!