Sessão Especial - Excalibur

Chega hoje a vocês a segunda edição do sessão especial. Para quem perdeu o da semana passada, a idéia é falar sobre os diversos filmes já lançados sobre a lenda arturiana, com o olhar particular que tenho para as coisas e a base de conhecimento que trago da lenda.


A edição de hoje tem a sorte de trazer a vocês o filme "Excalibur", de 1981. É claramente o melhor filme sobre a lenda arturiana que caiu nas minhas mãos. Este filme teve como base os textos do Malory, e consegue contar a história de cabo a rabo. Desde os começos onde Uther faz Arthur em Igraine, até a barca de Avalon levando Arthur para o além. Todos os pontos cruciais da história foram retratados. O nascimento de Arthur, a espada na pedra, a coroação, o encontro com Guinevere, casamento, Lancelot, Morgana, a ruina, o graal, e até Perceval.

A fita (ô palavra véia...) mostra a direção impecável do John Boorman ao longo de 140 épicos minutos, e uma lista de atores de nome bem conhecido; é até engraçado descobrir o Gabriel Byrne no papel do Uther, Liam Neeson como Gawain, e Patrick Steewart como Leodengrance. Mas a coincidência mais engraçada é Guinevere. Nossa querida, safadinha Guinevere. Ela foi interpretada por Cherie Lunghi, quem uns bons anos mais tarde interpretaria Stephanie, a cafetina do seriado "Diario de uma garota de programa". Toma essa.

Vamos às pérolas do filme:

Uther, o cabra macho. Ou o macho alfa, como diria uma amiga. É a testosterona de armadura medieval. Como ele mesmo disse logo no começo do filme, "TALK?!? TALK IS FOR LOVERS!!!"
Um bom exemplo da sua personalidade surge na mesma noite onde por fim conseguiu o tratado de paz com Gorlois, o próprio Gorlois organiza um festim, e pede para sua mulher dançar para os convidados. Foi questão da jovial Igraine dar duas voltinhas com a saia que o Uther começou a gritar "EU DEVO POSSUIR ESSA MULHER!! EU DEVO!!!". Gesto inadequado de um comensal na casa do anfitrião, se referindo a sua cónjuge.
Mas no fim das contas, ele é um personagem quase que teleguiado pelo Merlin, para propósitos digamos, mais nobres.

Falando em Merlin, ele dá a nota, e é o destaque em todas as cenas onde aparece, apenas encontrando páreo nos seus encontros arrebatadores com Morgana. Mas Morgana sempre roubou a cena... O Merlin nesta versão veste um capacete prata, que lembra desenhos animados de super heróis dos anos 60. Mais precisamente os vilões. Mas o destaque do Merlin não é o visual, são as falas. Algumas delas tem entonação de vendedor de pamonha, mas é legal ver a cara de confusão das pessoas en volta do mago enquanto ele fala. Como se ninguém entendesse do que ele está falando em absoluto...

Dá para entender o trauma da Morgana. Além de ter poderes de ver o futuro e outras cositas más, teve um momento nada fofo na sua infância ao assistir de camarote o Uther traçando sua mãe Igraine. De armadura. Com a idade, ela somente ficou mais e mais ardilosa.

O encontro da Gui com Arthur é bem bacana, bem construido, convincente. Assim como o encontro do Arthur com Lancelot, e o de Lance com a Gui. Tudo plausível, humanizado.

O sentimento confuso da Guinevere en relação ao Lancelot aparece no rosto de ambos. A indecisão do Lancelot, a perda de chão dele é visível, evidente. Ele nem quer freqüentar Camelot, para evitar encontros que possam abalá-lo.

Mas quando esse encontro entre eles finalmente ocorre, é nesse instante que o mundo acaba. Acaba mesmo. Merlin se rende aos poderes de Morgana, e fica preso pela eternidade. Arthur pega Lancelot e Guinevere no flagra, peladões na grama, dormindo de conchinha. Morgana, com os poderes roubados do Merlin, se faz passar por Guinevere e engravida de Arthur, e se revela ao Arthur chamando-o de "irmão" ao pé do ouvido. Tudo na mesma noite.

Dá para entender a ressaca com que Arthur acordou no dia seguinte, e ao ver seu mundo caindo, ele entendeu isso como castigo divino e pediu aos seus cavaleiros que partam em busca do Graal. Com isso, o filme emenda a história do Perceval, e mostra gradativamente o fim da távola redonda.

Já no fim, temos o último encontro entre Arthur e Guinevere (ela já no convento), e a batalha final dele com Mordred, onde ambos são feridos mortalmente. Para coroar o filme, Excalibur é devolvida à Senhora do Lago, e Arthur parte para Avalon na barca com as sacerdotisas.

Épico, como deve ser. Alguma crítica ao filme? Acho que a parte da busca do Graal ficou descuidada. Não faz muito sentido vendo apenas o filme, e pode ficar maçante ao pensar em um filme de 140 minutos. De resto, é uma peça e tanto!

Até a semana que vem!

4 comentários:

Renata disse...

Parece bom!!
Será que eu acho a fita pra fazer download? :-)
Bjs!

Wally disse...

Rê,

Se não achar me avisa por mail, tá?

Sel Cruz disse...

Olá, adorei os comentários sobre o filme. Estou procurando ele pra fazer uma sessão com meus alunos, mas não acho em lugar nenhum nem pra baixar nem prea comprar.
Você sabe onde eu consigo?
Parabéns pelos comentários do filme.
Meu email sheilavcruz@yahoo.com.br

Wally disse...

@ Sel,
Acabei de responder por e-mail, afinal era um pouco longo para responder por aqui...
Dá para conseguir na Saraiva (Blu-ray), ou na Cultura (BR e DVD); qualquer coisa me responde no e-mail e trocamos figurinhas.

Obrigado pelo comentário!